Polícia

JORNAL VIRTUAL
CHARGE DO DIA
Clique para ampliar

 Enviar matéria por e-mail

A lei passa longe das quadras da Asa Norte

Moradores vivem atemorizados pela presença de traficantes, pela ação de bandidos que matam e arrombam prédios e pela prostituição a céu aberto

Tamanho da Fonte     Jonilda Bonfim
jbonfim@jornalcoletivo.com.br>
 Redação Jornal Coletivo

O aumento da criminalidade nas quadras do final da Asa Norte está assustando os moradores  e  acaba influenciando nos preços dos  imóveis daquela área, o que pode ser comprovado pelos anúncios publicados  nos jornais e em sites especializados.


Afinal, o mapa da violência traçado pela Polícia Civil indica a presença de  tráfico de drogas nas proximidades das comerciais da 312 a 315, arrombamentos de apartamentos das 400, a prostituição entre a W3 Norte, da 712 a 715, passando pela 315 e chegando às 900, assaltos, roubo de carros, assim como casos de  mortes violentas.Foi o caso do assassinato, ontem, por volta das 11h40, de Edmílson Godinho de Carvalho, 67 anos,  morto a tiros disparados por duas pessoas que estavam em uma motocicleta, quando ele saia de uma agência bancária, localizada na 116/316 Norte, após sacar a importância de R$ 4.087.

[legenda=Uma boate que há anos funcionou na 315 marcou para sempre a rua que, apesar das operações constantes da polícia, continua, à noite, disputada por prostitutas e também por travestis][credito=Foto: Rúbio Guimarães]


Na última terça-feira, PMs da Asa Norte (3º BPM) apreenderam, na  910, dois jovens, ambos com 17 anos, com 50 pedras de crack que foram encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) para registro do flagrante. Uma moradora da 312 disse que passou a ter receio da onda de crimes que vem constatando nas proximidades da quadra devido aos “tipos estranhos que andam circulando na área”.


Ainda segundo ela, próximo aos descampados, grupos de moradores de rua fazem uso de drogas, promovem confusões, geralmente regadas por bebidas, e não raro chegam até a intimidar quem passa por ali.


Não é à toa que um apartamento naquela quadra chega a ser vendido a preço inferior a um apartamento de outras quadras da Asa Norte, com semelhanças na metragem, quantidade de quartos, beneficiamentos, entre outras. Nos sites de comercialização de imóveis, um apartamento localizado na 312 está sendo vendido por R$ 400 mil, enquanto um igual na 409 pode ser negociado por até R$ 420 mil.


Historicamente, unidades residencias das 400 costumavam ter valores inferiores aos das 312/112, “mas o preço naquelas áreas tem sofrido queda por causa da onda de violência”, disse um corretor que preferiu não se identificar.


No início da semana, a proprietária de um apartamento da SQN 412, bloco O, teve o imóvel invadido por um ladrão que levou duas garrafas de vinho importado e diversas joias. O arrombamento ocorreu às 13 horas, mas os policiais da  2ª DP conseguiram prender o invasor, identificado como Alexandre Mendes Fialho, 18 anos.


“Apesar disso, nem sempre isto acontece. Primeiro porque falta policiamento nas ruas e depois porque os bandidos que agem em nossas quadras fogem para o Entorno e só volta só para praticarem outros golpes”, disse outro morador.


Classificação Atual       ( 0 ) Dê a sua classificação:      


É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Grupo Comunidade

Home | Contato | Expediente | Anuncie | Receba nossas Publicações

Grupo Comunidade de Comunicação © 2008 | Política de Privacidade | Termos de uso