Política

 Enviar matéria por e-mail

Doleiro é preso e donos da Friboi e Gol na mira

Funaro era ligado a Cunha. Empresários são investigados

Tamanho da Fonte      Redação Jornal Coletivo

[legenda=Lúcio Funaro foi preso, na manhã de hoje, por federais em São Paulo]Foi deflagrado nesta manhã, pela Polícia Federal, mais uma operação Lava Jato. O alvo da vez foi o  doleiro Lúcio Funaro, que foi preso em São Paulo. De acordo com delatores da Lava-Jato, o doleiro é ligado ao presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).


Além do doleiro, existe mandado de busca e apreensão na Eldorado, braço de celulose da J&F Investimentos, dono da JBS e comandado pela família Batista. O presidente do conselho de administração da JBS, diretor-presidente da J&F, e dono da Friboi, Joesley Batista, vai ser investigado assim como Henrique Constantino, dono da Gol.


Os mandados desta etapa da operação foram autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, relator da Lava Jato na corte. Também é alvo da operação o lobista Milton Lira. A polícia fez busca e apreensão na casa dele, em Brasília.A ação desta manhã se baseia nas informações da delação premiada de Fábio Cleto, ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal. Cleto também é aliado de Cunha. Outra delação que baseou as ações desta sexta é a de Nelson Mello, ex-diretor da Hypermarcas. Às autoridades, Cleto relatou que o presidente afastado da Câmara recebeu propina por negócios feitos pelo Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS).


A JBS divulgou um comunicado aos acionistas no qual afirma que a companhia e seus executivos não são alvo da operação da polícia. Em Pernambuco foram cumpridos três mandados de busca e apreensão. Um deles tem como alvo a empresa Cone, em Cabo de Santo Agostinho. Os outros dois foram cumpridos em apartamentos da Praia de Boa Viagem.

 

A nova operação da Lava-Jato

Ao todo foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão e 1 de prisão preventiva. No estado de São Paulo, além da prisão, foram 12 buscas e apreensões. No DF, foram 2 buscas e apreensões, assim como no Rio de Janeiro. No Recife, foram 3 mandados de busca e apreensão. Em nota , a Eldorado confirmou a busca e apreensão nas dependências da empresa em São Paulo e disse que desconhece os motivos da ação policial.


Classificação Atual       ( 2 ) Dê a sua classificação:      


É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Grupo Comunidade

Home | Contato | Expediente | Anuncie | Receba nossas Publicações

Grupo Comunidade de Comunicação © 2008 | Política de Privacidade | Termos de uso